O primeiro encontro nacional das FabLabs, as oficinas que proporcionam os meios de invenções mais modernas, ocorreu na Campus Party 2019.

Em 2015 a rede começou a expandir no Brasil contando com apoio do poder público, instituições de ensino e associações. Hoje, várias dessas oficinas estão ligadas a prefeituras, universidades e contros de ensino.

Com a criação do Instituto de FabLabs do Brasil, a rede passa por uma formalização, que deverá aproximar esses espaços de empresas, governos e uma das outras no sentido de unificar a rede de laboratórios.

Segundo o presidente do Instituto, Kenzo Abiko, existem 59 desses laboratórios no país.

“Com essa formalização, esperamos conseguir estabelecer mais parcerias e distribuir melhor os projetos da rede. É um modelo espelhado na Fab Foundation, que existe nos Estados Unidos”, disse Abiko.